Apesar de ser um filme que já tenha estreado nos cinemas portugueses em dezembro de 2011, ainda merece destaque, pois considero um dos melhores filmes do ano. Mesmo já com a existência da primeira versão em sueco, considero o filme americano mais bem conseguido em vários aspetos, tanto cinematograficamente como a fidelidade para com o livro desta trilogia de sucesso.“Os Homens que Odeiam as Mulheres” é o primeiro filme da trilogia Millenium, realizado por David Fincher, e baseado no best-seller de Stieg Larsson. A história baseia-se no jornalista polémico Mikael Blomkvist e na hacker punk, Lisbeth Salander, que por sua vez formam uma dupla irreverente com o objetivo de investigar o desaparecimento de Harriet Vanger, passado 40 anos, a pedido do tio que suspeita que terá sido morta por um membro da família. Com a aproximação da verdade, a dupla passa por várias situações de risco, e a vida privada de cada um deles é também um destaque nesta narrativa.

Já conhecendo a extraordinária e viciante história literária, o filme só podia conter todo o conjunto de críticas feitas à sociedade, nomeadamente sociais e políticas. Para além disto, possui personagens bastante interessantes e marcantes que nos atraem por completo, fazendo envolver o público na história. Lisbeth Salander é a personagem misteriosa neste primeiro filme, que ainda pouco se sabe do seu passado negro e que tem dotes inacreditáveis a nível do “hacking” e investigação. Tem uma personalidade intensa, louca e desafiante, oferecendo à narrativa momentos pesados e de alta tensão. Ronney Mara, atriz que interpreta L. Salander, surpreendeu pela positiva, pois pouco se tinha revelado ainda na sua filmografia. Este foi o ponto de partida para a sua carreira, tendo sido nomeada para o óscar de melhor atriz por esta personagem, com todo o mérito. É importante realçar de que é uma personagem bastante complexa, a nível emocional e física, e achei que Ronney Mara a interpretou da melhor forma, segundo a minha interpretação desta personagem na obra literária. Segue-se Mikael Blomkvist, interpretado por Daniel Craig, um jornalista envolvido num processo judicial e também editor da revista Millennium, que numa situação de adversidade aceita o caso de investigação do desaparecimento de Harriet Vanger. É, também, uma personagem cativante, que revela todo o seu lado corajoso, sedutor e sem qualquer receio de encarar dificuldades.

Assim, o filme através das boas cenas organizadas da investigação do caso, consegue alcançar uma melhor classificação, uma vez que em relação ao livro não destaca tanto o íntimo das personagens, levando isso para segundo plano. Talvez, cinematograficamente, fica realmente melhor aproveitar mais a história policial, nesta 1ª narrativa da trilogia.

É, sem dúvida, um filme a não perder, e é com ânsia que aguardo os próximos filmes da trilogia, que se forem bem produzidos, serão tanto melhores como este, com Lisbeth Salander e a sua vida em destaque.

Os Homens que Odeiam as Mulheres
M16|Crime, Drama, Misterio|EUA|158m, IMDB: 8/10 (131,746 votos)
About these ads